Planificação das AEC para 2017/18

Planificação das AEC para 2017/18

O Diretor-geral da Educação quer que se salvaguardem as brincadeiras das crianças e que se saia da sala de aula na planificação das Atividades de Enriquecimento Curricular para o próximo ano letivo. O responsável quer evitar que o período curricular estique e a excessiva escolarização dessas atividades.

Numa carta enviada aos diretores das escolas e aos presidentes das câmaras municipais, das juntas de freguesias, das associações de pais e de instituições particulares de solidariedade social, o diretor-geral da Educação, José Duarte Pedroso, quer que no planeamento das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) para o ano letivo 2017/2018 sejam tidos em consideração vários pontos importantes. Desde logo, que se salvaguarde o tempo de recreio necessário para as brincadeiras livres das crianças.

O responsável chama a atenção para mais aspetos. Eliminar o agendamento de trabalhos de casa, que não se esqueça o carácter lúdico das AEC que se devem orientar para o desenvolvimento da criatividade e das expressões dos mais novos, que se utilizem espaços, materiais, contextos e outros recursos educativos diversificados de forma a evitar a permanência nas salas de aula. O diretor-geral recorda ainda que é preciso garantir os apoios necessários para que todos os alunos, sem exceção, possam participar nas atividades, independentemente das suas capacidades e condições de saúde, e, por outro lado, que todas as componentes do 1.º ciclo sejam abordadas pelo professor da turma durante o período curricular.

Pode ler mais sobre esta notícia – aqui!

Pode ler a carta enviada pelo Diretor-geral da Educação – aqui!

Mais tempo de recreio

Mais tempo de recreio

Os alunos do 1.º ciclo vão beneficiar de mais meia hora de intervalo por dia, já a partir de Setembro. Como o intervalo da manhã vai passar a integrar o tempo letivo do professor, isso implica redesenhar os horários escolares. Com esta alteração, os alunos no 1.º ciclo passam a dispor de menos tempo de permanência na sala de aula e a mais tempo de recreio. A medida está prevista para entrar em vigor já no próximo ano letivo.

Os professores têm de lecionar cinco horas letivas por dia e este período de trinta minutos fará parte desse horário – que contempla as aulas, o apoio ao estudo e, agora, o intervalo. Esta informação já consta na circular da Direção-Geral de Educação, que chegou às escolas no final de junho.

A reorganização dos horários do 1.º ciclo cabe agora aos agrupamentos, que terão, na prática, duas opções: podem decidir atrasar o início das aulas meia hora (9h30 ao invés de 9h00) ou terminá-las mais cedo (15h30 em vez de 16h00). Outra alternativa é alargar o horário de almoço de 1h30 para 2h00.

Pode ler mais sobre esta notícia – aqui!