Petição contra as mochilas pesadas nas escolas

Petição contra as mochilas pesadas nas escolas

O excessivo peso das mochilas escolares não é uma realidade de agora. Há mais de uma década que os alertas são dados, as campanhas repetem-se e os estudos comprovam os malefícios de tanta carga que as crianças têm de suportar. Para não passar de mais um alerta, um grupo heterogéneo (composto por um ator, uma jornalista, dois médicos e algumas associações ligadas à medicina) decidiu lançar uma petição: Contra o peso excessivo das mochilas escolares e em apenas três semanas já reuniram cerca de 15 mil assinaturas.

Segundo um estudo realizado pela Associação de Defesa do Consumidor (Deco) e a revista Proteste, mais de metade das crianças dos 5.º e 6.º anos de escolaridade transportam peso a mais nas suas mochilas escolares. (…) O estudo revelou que 53% das crianças que participaram no trabalho transportavam mochilas com uma carga acima do recomendável pela Organização Mundial da Saúde, isto é, superior a 10% do seu próprio peso.

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Pode assinar a petição – aqui!

Trabalhadores não docentes em greve dia 3 de fevereiro

Trabalhadores não docentes em greve dia 3 de fevereiro

Os trabalhadores não docentes nas escolas, que limpam salas de aula, vigiam recreios, cuidam de vários espaços, atendem pedidos de alunos, professores, pais, ganham cerca de 3,5 euros à hora. Na próxima sexta-feira, 3 de fevereiro, estes assistentes operacionais fazem greve, o que poderá comprometer o normal funcionamento de várias escolas.

A paralisação foi convocada pela Federação dos Sindicatos dos Funcionários Públicos em protesto contra a precariedade laboral e pela Federação Nacional da Educação (FNE)…

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Olhar pela saúde nas escolas

Olhar pela saúde nas escolas

Programa de Saúde Escolar revela hábitos de alunos e investe em ações que abordam assuntos como a alimentação, os afetos, a sexualidade, a saúde mental. O relatório do ano letivo 2014/2015 foi divulgado pela Direção-Geral da Saúde e mostra o trabalho feito nas cinco regiões do país.

Não havia muitos alunos que escovavam os dentes na escola no ano letivo 2014/2015 e nem todos tinham o boletim de vacinas atualizado. Nesse ano, foram sinalizados 2060 casos de maus tratos e registados 50 590 acidentes escolares. Oitenta por cento das escolas cumpriam a restrição de fumar e 15% tinham coberturas de fibrocimento. O Norte e o Algarve investiram na educação para os afetos e a sexualidade. O Alentejo dedicou-se sobretudo à educação alimentar e Lisboa e Vale do Tejo à prevenção do consumo de tabaco. Estes são alguns dos resultados do relatório técnico do Programa de Saúde Escolar do ano letivo 2014/2015, elaborado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Alunos do 1.º ciclo são os que mais têm TPC

Alunos do 1.º ciclo são os que mais têm TPC

Os alunos do 1.º ciclo são os que têm mais trabalhos de casa (TPC) e o tempo médio despendido é de 15 a 30 minutos, conclui um inquérito feito a professores (69,5%) e a encarregados de educação (46,6%).

A segunda parte do estudo “A escola, a família e os trabalhos de casa“, realizado entre 8 e 29 de Novembro passado, e com uma amostra de 1614 inquéritos vem demonstrar que “todos os ciclos de ensino apontam os 15 a 30 minutos como duração média para a realização dos trabalhos de casa” e que são os professores do 1.º ciclo que atribuem com maior frequência TPC. Apenas 13,5% dos professores declaram nunca atribuem TPC no 1.º ciclo.

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Ministro da Educação entrevistado pela Rádio Miúdos

Ministro da Educação entrevistado pela Rádio Miúdos

Tiago Brandão Rodrigues marcou arranque de 2017 dando uma entrevista ao vivo ao projecto Rádio Miúdos. Emissão foi feita na sede do Ministério da Educação, em Lisboa.

Miguel Pavia e Tiago Moriés arrancaram o novo ano como jornalistas de palmo e meio. Têm 12 anos, são alunos do 7.º ano e são os correspondentes de Beja da Rádio Miúdos, que marcou o início de 2017 com uma emissão em directo a partir do Ministério da Educação, na Avenida 5 de Outubro, em Lisboa. O convidado especial desta rádio online criada no final de 2015 foi o ministro Tiago Brandão Rodrigues. À sua volta estiveram seis pequenos jornalistas de Lisboa, Bombarral e Beja.(…)

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Mais de uma em cada quatro crianças tem excesso de peso em Portugal

Mais de uma em cada quatro crianças tem excesso de peso em Portugal

(…) As crianças portuguesas estão entre as que mais comem fruta, mas são das que menos comem vegetais. É o que diz o relatório “Health at a Glance: Europe 2016” sobre os hábitos de alimentação saudável nos 28 Estados-membros da União Europeia.

A obesidade das crianças portuguesas recebe uma chamada de atenção dos autores do relatório. Mas não são as únicas a dar motivos de preocupação. “Mais de uma em cada quatro crianças tem excesso de peso na Áustria, Hungria e Portugal e mais de uma em cada três na Grécia e Itália”, lê-se no relatório publicado em novembro pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Portugal melhorou os resultados nos testes PISA

Portugal melhorou os resultados nos testes PISA

Portugal teve os melhores resultados de sempre nos testes PISA, da OCDE, chegando aos 501 pontos em Literacia Científica, 498 em Leitura e 492 na Matemática.

Num ranking dominado pelos países asiáticos, os alunos portugueses deram continuidade a uma evolução que tem sido constante desde a primeira participação, em 2000. Nos testes PISA 2015, cujos resultados são hoje divulgados, os estudantes nacionais chegam ao “top” 20, entre mais de 70 países – incluindo os 35 membros da OCDE – , nos domínios de Literacia Científica (17.º lugar) e de Leitura (18.º), melhorando ainda a prestação na Matemática (22.º).

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Um terço dos parques infantis tem falhas de segurança

Um terço dos parques infantis tem falhas de segurança

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) detetou irregularidades em 37% dos 516 espaços de jogo e recreio fiscalizados no país desde 2013. (…) as infrações mais frequentes relacionam-se com insuficiente conservação dos equipamentos, como madeiras gastas ou pinturas corroídas, e falhas nas zonas de impacto e no piso.

A intenção de avançar para um registo eletrónico de todos os parques infantis e outros locais de diversão, como skate parques e insufláveis, onde se pudesse fazer uma atualização constante das condições de segurança estava estipulada em documento mas acabou por não sair do diploma, conforme explica o JN.

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Crianças até 12 anos vão ter passe gratuito

Crianças até 12 anos vão ter passe gratuito

As crianças entre os 4 e os 12 anos vão ter passe gratuito e o passe dos idosos vai ter uma redução de preço na ordem dos 40%, avança o presidente da Câmara de Lisboa hoje, dia em que a autarquia e o Governo assinam um memorando com vista à passagem da gestão da empresa para as mãos da câmara a partir de 1 de janeiro.

As crianças, que agora pagam um passe de 26,75 euros, vão passar a beneficiar de transporte grátis até completarem 13 anos. Daí até aos 18 anos, continuam a pagar, como agora, 26,75 euros.

Veja mais detalhes da notícia – aqui!

Jovens usam os media, mas faltam-lhes competências

Jovens usam os media, mas faltam-lhes competências

Os jovens estão cada vez mais “conectados” aos media. Têm acesso à televisão, ao computador com Internet, ao telemóvel ou smartphone e estão “sempre” ou “muitas vezes” online. Mas são pouco críticos quanto à informação que lhes chega através dos media.

O mais recente estudo sobre literacia mediática, organizado pela Universidade do Minho, o Gabinete para os Meios de Comunicação Social e a Rede de Bibliotecas Escolares, pode preocupar pais e professores. “Há um conjunto de competências que os jovens precisam para o seu dia a dia que não estão desenvolvidas”, explica Sara Pereira, investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade e uma das autoras do estudo.

Veja mais detalhes da notícia – aqui!